Arquivo do blog

quinta-feira, 11 de maio de 2017

O interrogatório de São Bernardo do Guarujá

Um drama do quotidiano da série de melodramas intitulada "Melou o drama"

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Pergunta o juiz de gravata a um rapaz sem gravata mas com suspensórios, de seus 30 anos calçando pantufas plastificadas de seda da China, e um boné com inscrição "Curta o Guarujá inté se acabá- vote no PT" .

- Sobre o que discutiam?
- Alguma coisa sobre ela assinar uns papéis...Ela dizia que estava farta, tava velha demais pra isso, que não assinava mais nada e que se tivesse que depor, que não iria mentir.
- E ele ?
- Chamou-a de velha coroca que não tinha onde morrer morta se não fosse ele... Que ela lhe devia a própria vida, e que ia chamar a Rosemary pra lhe dar um chupão no pescoço e outro no bigode inferior...
- E depois ??
- A mulher começou a bufar, ouvi como que objetos batendo em vidros e depois um corpo cair...
- Só isso ?
- Ela deu uns três berros pedindo uns remédios para pressão...E depois ficou o silêncio!!!
- E você estava onde ??
- Ia passando na escada , ouvi barulho e por curiosidade fiquei ouvindo. Ouvi passos na direção da porta e me escondi . A porta se abriu e logo se fechou. Então voltei a encostar o ouvido na porta. O cara só chamou a ambulância passada meia hora depois que a mulher caiu...
- Viu o homem ?????
- Claro... Gordo, careca, barba porca por fazer , um copo de cachaça numa mão de nove dedos...
- E não ouviu mais nada ???
- Um pouco antes de chegar a ambulância, ele disse:- Tá vendo, vaca ??? Agora tu não vai contar mais porra nenhuma pra ninguém.... E riu ... Ficou rindo um tempão.... Aqueles agarramentos em público era tudo de fachada... Parece que ela não morreu nem antes nem depois. Morreu exatamente na hora certa pra ele.


Rui Rodrigues